Buscar
  • Renato Silva

A fisiologia do treinamento aeróbico e da queima de gordura.

Uma das adaptações mais importantes que você obtém nos treinos de resistência é a capacidade de usar a gordura de forma mais eficiente.

Em intensidades mais baixas, você queima principalmente gordura e alguns carboidratos.

Em torno do seu limiar e além, você queima quase inteiramente carboidratos. Se não houver carboidratos suficientes em seu organismo (ou seja, glicogênio), você simplesmente não conseguirá atingir seus objetivos.


Por isso, não são os atletas com maior FTP ou VO2-max que acabam ganhando muitas provas, mas também aqueles que podem utilizar a gordura como fonte de combustível de forma eficiente e, portanto, preservar melhor seus estoques de glicogênio. Os atletas que conseguem queimar gordura com mais eficiência têm melhor desempenho. Você também pode ensinar seu corpo a queimar gordura de forma mais eficiente poupando glicogênio para quando for mais importante.


Se você deseja treinar as capacidades de queima de gordura do seu corpo, simplesmente deve treinar na intensidade em que você queima mais gordura! A comumente conhecida “Zona 2” fica logo abaixo do seu limiar aeróbico. Além desse ponto, seu corpo começará a utilizar cada vez mais carboidratos e então começará a diminuir a eficiência metabólica. A Zona 2, portanto, é onde você deve passar muito tempo treinando se quiser melhorar sua capacidade de queima de gordura.


Como treinador, um dos problemas mais comuns que encontro ao trabalhar com novos atletas é que completar um treino adequado na Zona 2 requer muita disciplina. Muitos não gostam de ir devagar e sentem que, se não estiverem treinando com força, não estão obtendo nenhum benefício.


Se você não se atenta para este tipo de treino, o resultado é que quase todo o seu treinamento está realmente acima do seu limiar aeróbico. Esses tipos de atletas são ótimos em queimar carboidratos, mas não tão bons em usar gordura como fonte de combustível. Muitos deles têm os números brutos para serem competitivos nas corridas, mas simplesmente não são eficientes o suficiente para realizar todo o seu potencial. Eles ficam sem energia antes do final e não podem replicar os esforços duros quando mais importam.


Se você achar que tem dificuldade para repetir grandes esforços ou sentir que não consegue atingir os números máximos no final de uma corrida, pode valer a pena examinar seus hábitos de treinamento. Quanto do seu tempo de treinamento é gasto nas Zonas 1 e 2? Você tende a ultrapassar essas zonas em provas de resistência ? Um treino adequado na Zona 2 deve parecer relativamente fácil e deve ser muito estável. Trajetos mais planos que evitam subidas íngremes são ideais.


“Sem dor, sem ganho” nem sempre é verdade. Sim, você deve estar disposto a sofrer com intervalados, mas também deve ter disciplina para treinar fácil. Os Kms fáceis servem a um propósito muito importante e não são uma perda de tempo. Para alguns atletas, a melhor maneira de acelerar é primeiro diminuir a velocidade.


FONTE:TrainingPeaks


55 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo